Como dividir os seus investimentos de acordo com o seu patrimônio

Entenda o processo que a Garín faz para diversificar investimentos, uma das maneiras de aumentar a liquidez.

04/04/2019

Para gerir recursos de maneira bem-sucedida, a Garín conta com uma série de produtos e serviços diferentes, capazes de agradar os mais variados perfis de investidores — dos ocasionais aos profissionais. Seja com os fundos multimercado ou o mais novo venture capital com blockchain, uma das chaves do sucesso da Garín é entender que cada cliente é diferente e que um dos segredos de um bom retorno pode ser a diversificação.

O fato é que, em grandes partes pela falta de conhecimento de outros serviços, o brasileiro ainda não costuma variar os seus investimentos. Na verdade, existe uma preferência em deixar o patrimônio na poupança. Segundo uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do SPC Brasil, junto com a Comissão de Valores Imobiliários, 7 em cada 10 brasileiros deixam o dinheiro parado na poupança. “O brasileiro ainda tem muita dificuldade em entender os investimentos”, disse Rogério Oliveira, responsável pela pesquisa.

Por aqui, queremos que todos entendam como diversificar o patrimônio — e como a Garín pode fazer isso por você. Veja como funciona esse processo:

1 – Planejamento

Ao cuidar do seu patrimônio, estamos cuidando de você. Logo, precisamos compreender todo o perfil do investidor antes de saber qual é a melhor distribuição a ser feita. Nesse planejamento inicial são consideradas variáveis como situação familiar, expectativas (objetivos do planejamento e os prazos), propensão ao risco, preferências e etc.

Com o perfil traçado, pode-se montar a seleção mais adequada de investimentos. Por exemplo, com essas informações é possível saber se o investidor em questão está disposto a fazer investimentos de alto risco. Desse modo, podemos definir a porcentagem de investimentos arriscados (5%, 10%, 20%, etc) em relação ao todo.

2 – Rascunho das Classes

Em um segundo momento, chega a hora de definir a proporção em cada classe de acordo com os inputs do investidor — Renda Fixa, Ações, Ativos Ilíquidos (classe com fundos de participação com prazos maiores de resgate, com empresas com boa oportunidade de crescimento, nesse contexto entra o venture capital) e etc.

Um exemplo de divisão de investimentos é:


Renda Fixa: 50%

Ações: 20%

Caixa: 20%

Ativos Ilíquidos: 10%

3 – Seleção dos Produtos

Feita a divisão de classes, a Garín inicia o processo de seleção dos produtos que farão parte do portfólio. É feita uma análise minuciosa para encontrar os melhores produtos ajustados de acordo com o retorno x risco por classe. Portanto, busca-se a melhor opção de renda fixa, ações, caixa, ativos ilíquidos e etc, sempre respeitando o perfil e a preferência do investidor.

4 – Monitorar o mercado para possíveis mudanças

A Garín está sempre de olho em tendências e em possíveis movimentos econômicos para conseguir distribuir os investimentos da melhor maneira. Por exemplo, atualmente há um cenário de juros baixos e potenciais reformas estruturantes (como a previdência). Isso acarreta em uma possível mudança no perfil de risco dos investimentos. Ou seja, o investidor talvez tenha que correr mais riscos, alongar os prazos e reduzir a liquidez nos portfólios para gerar retornos na casa dos 2 dígitos.

 

A Garín sabe diversificar seus investimentos

Quer saber mais sobre como diversificar os seus investimentos? Entre em contato conosco e conheça os nossos produtos e serviços. A Garín faz questão de conhecer o perfil (e o patrimônio) de todos os clientes para fazer os melhores investimentos.

Rua Hungria, 664 - 12º andar
Jardim Europa - 01455-904
São Paulo - SP
Tel +55 11 3010-3234